[SPFW – DOMINGO] FH POR FAUSE HATEN

Fause Haten hoje se define mais como um artista (ocupação que aparece logo abaixo de seu perfil de instagram, @fausehaten) do que estilista. Cada vez mais performáticos, seus desfiles são teatrais, como na edição passada, quando, ainda no antigo ateliê loja da Francisco Leitão, vestiu uma cliente com peças de sua nova coleção. Agora, mandou fazer bonecas em tamanho natural com a cara de Marlene Dietrich, que Ricardo dos Anjos maquiou e penteou (idealizou cor e corte das perucas). Manipuladas por atores, foram elas as modelos que apresentaram os 13 looks femininos, num palco tipo arena circular, com a escada feita de arquibancada, no Parque da Independência, no Ipiranga (SP), abrindo neste domingo (24) o SPFW N41.

      fause-haten-spfw-verao17-002-318x480 fause-haten-spfw-verao17-001-318x480

A história é a primeira de uma série de performances intitulada “Lili Marlene – O Risco”, que Fause Haten fará dentro da exposição “#ForadaModa – uma exposição em construção”, em cartaz no Sesc Ipiranga, da qual ele é curador. A apresentação teve ainda trilha sonora de piano ao vivo e o estilista cantando uma versão em português de La Vie en Rose, uma de suas referências, além de Dietrich, para a coleção. O estilista também criou nove looks masculinos usados por bailarinos de diversas companhias, que dançaram durante o desfile.
Com uma única loja há cerca de seis meses no bairro do Belém, onde funcionava a sua fábrica, Fause Haten diz que todas as peças do desfile já estarão à venda nesta segunda (25). É uma versão “peça única” do see now buy now, mas no que ele realmente aposta é no atendimento sob encomenda, com uma produção menor e com direito a adaptações e mudanças no look original. “É tipo a costureira do bairro mesmo”, diz.
Com vontade de pensar uma “nova roupa de festa”, em suas palavras, e menos preocupado com tendências de moda, o estilista usou algumas peças vintage, como a última camiseta do desfile e uma jaqueta marrom com franjas masculina (que ele customizou) e investiu no que considera uma de suas inovações, a malha de cristal, em vestidos todos com predominância do rosa e que traziam ora uma referência retrô solta dos anos 20, com franjas e estrutura no ombro, influência do quimono no casaco floral e no top rosa com saia de onça rosa e roxo, ora setentista, como a calça pantalona de malha de cristal com casaco degradê e camiseta vintage ou ainda oitentista, no conjunto rosa com dourado claro de jacquard de pied de poule com spencer volumoso e saia balonê. (CAROLINA VASONE).
(fonte: FFW)

About The Author

Gosto de tudo que é mais difícil, funciono melhor de madrugada, as minhas melhores ideias surgiram enquanto eu dormia, sou uma negação para decorar nomes de filmes, músicas ... whatever. Prefiro salgado do que doce, gosto de meninas e sou mãe de dois gatos, Calvin e Mandú. :)

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.